O Mar Amor
O Mar Amor
Ano: 2018
Uma obra que já nasceu um clássico da música instrumental brasileira, com as marcantes sonoridades de Carlos Malta, e seus múltiplos instrumentos de sopro, e de Dorival Caymmi, com sua Bahia, mar e amores.

Álbum com interpretação e arranjos de Carlos Malta para quinteto: Carlos Malta (sopros), Márcio Marinho (cavaquinho), Henrique Neto (violão de 7 cordas), Hamilton Pinheiro (baixo elétrico), Rafael Bkack (bateria).

Carlos Malta sopra o vento na praia de Dorival Caymmi (1914 – 2008). Música lançada em disco em 1949, O vento é uma das 14 músicas do compositor baiano abordadas pelo flautista, saxofonista e clarinetista carioca em O mar amor – Canções de Caymmi, álbum lançado neste mês de novembro de 2018.

A presença de ‘O vento’ no repertório é até certo ponto previsível, já que Malta é instrumentista já poeticamente apelidado no universo musical como "o escultor do vento" pela habilidade no toque dos sopros. O escultor do vento, aliás, é o título do primeiro álbum solo do artista, lançado em 1998, há 20 anos.

O mergulho n'O mar amor de Caymmi é feito, sobretudo, através do toque das canções praieiras do compositor, como Canção da partida (1957), Canoeiro (1944), É doce morrer no mar (1941, com versos de Jorge Amado), O bem do mar (1954), O mar (1940) e Temporal (1957).

Contudo, Malta também emerge do mar de Caymmi com pérola fina do samba-canção do compositor, Só louco (1955), e com sambas buliçosos como Rosa Morena (1942).

O próprio músico explica a natureza do mergulho n’O mar amor de Dorival Caymmi: ‘A ideia de gravar um disco com músicas de Caymmi há muito tempo vem habitando minha mente. Para interpretar estas canções, me inspirei na voz grave de Dorival e escolhi, dentre meus instrumentos, os que possuem mais afinidade com este canto: o clarinete-baixo, a flauta-baixo e a flauta em sol, porém sem deixar de fora o sax soprano, o pife de bambu e a flauta em dó. Uma coisa que buscamos na mixagem foi o som da bateria que em muitos momentos parece mais um batuque dentro d’água, aumentando ainda mais o mistério de certas canções. Minha abordagem estética foi mais por sublinhar a beleza das melodias, buscando uma singeleza nos arranjos e harmonias e deixando de lado as improvisações, que muitas vezes diluem a essência da obra’, conceitua Carlos Malta”.

FONTE: https://g1.globo.com/pop-arte/musica/blog/mauro-ferreira/post/2018/11/25/carlos-malta-sopra-o-vento-ao-entrar-no-mar-amor-de-dorival-caymmi-em-album-com-cancoes-do-compositor.ghtml

https://rotacult.com.br/2018/11/carlos-malta-lanca-album-com-repertorio-de-dorival-caymmi/